Notícias

Loading...

terça-feira, 15 de abril de 2014

Comissão da GCM de Planaltina/GO

Comissão da GCM em visita ao Dep. Federal Pedro Chaves

A Comissão de Assuntos Institucionais da GCM de Planaltina/GO esteve na tarde de hoje (15/04/2014) na Câmara dos Deputados onde foi recebida pelo Dep. Federal Pedro Chaves. 
O deputado ouviu atentamente sobre a história da nossa instituição, os projetos, as conquistas já alcançadas, as lutas e dificuldades por todos nós enfrentadas, e mostrou-se sensibilizado com tudo o que temos enfrentado, posicionando-se favorável a nos ajudar naquilo que tivermos dificuldade, como na questão de conseguir doações de equipamentos menos-que-letais e equipamentos de proteção individual.
Agradecemos ao deputado pela atenção e a todos os nossos companheiros de farda pelo apoio que nos tem sido dado. 
Abraço a todos!

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Veículo roubado é recuperado pela Guarda Civil Municipal de Planaltina/GO

Veículo recuperado pela GCM de Planaltina/GO

Por volta das 16h40min desta terça- feira (03), uma equipe da Guarda Civil Municipal de Planaltina/GO, composta pelo GCM Divande Lopes, GCM Alex Araújo e pelo Comandante da GCM, Eli Irineu, passava pelo Setor de Chácaras do Jardim Paquetá, quando perceberam que havia um veículo VW Gol de cor prata parado no meio do mato. Rapidamente a equipe solicitou apoio na Base da Guarda Civil Municipal, onde então, a equipe composta pelo GCM Geraldo Crécio, GCM Neivson e GCM Valderei deslocou para dar o apoio solicitado. Após fazerem uma varredura no local, as equipes constataram que se tratava de um veículo que havia sido roubado naquele mesmo dia às 05h00min da manhã. O proprietário M.S.R. foi informado que o veículo havia sido recuperado e foi até o local acompanhado pelos policiais militares, CB Gilmar e SD Lima para fazer o reconhecimento do automóvel, onde informou aos guardas que havia sido tomado de assalto na porta de sua residência por dois indivíduos armados que estavam em uma moto de cor preta. A vítima informou ainda que os dois indivíduos levaram vários objetos da casa, como: um microondas, uma TV, uma lavadora de alta pressão, um aparelho de DVD entre outros pertences.
Após o veículo ter sido recuperado pela Guarda Civil Municipal de Planaltina/GO e com o apoio da Polícia Militar, o mesmo foi devolvido ao seu proprietário.
Pelo fato da Polícia Civil de Goiás encontrar-se de greve, a vítima não havia conseguido registrar o B.O.

Local onde o veículo foi encontrado


As guarnições no local





sexta-feira, 1 de novembro de 2013

GUARDA CIVIL MUNICIPAL: UMA CONQUISTA DE PLANALTINA GOIÁS


GCM ROCHA LIMA
SEC. DE ASSUNTOS JURÍDICOS (SINDIGUARDAS)
GUARDA CIVIL MUNICIPAL
UMA CONQUISTA DE PLANALTINA GOIÁS



Na falta de interesse do poder público divulgar a importância, atribuições, e objetivos da Guarda Civil Municipal de Planaltina-Goiás até mesmo como forma de apresentá-la ao público, freqüentemente nossa instituição tem sido alvo de infundadas acusações, e análises realizadas por... intelectualóides sobre a pertinência do poder de polícia no cumprimento do seu dever. A Revista Artefato na sua edição de número 07 do mês de outubro de 2013 publicou uma matéria (se é que pode ser chamada assim) atacando diretamente a GCM de Planaltina Goiás atribuindo a tal corporação inúmeras acusações caluniosas, e opiniões pessoais sem nenhuma fundamentação jurídica, sem falar da capa que além do extremo mau gosto, inicia explicitamente a tentativa de descredibilizar nossa Guarda e jogar a população contra uma ferramenta do poder municipal que trabalha arduamente para conquistar o respeito, e reconhecimento da comunidade, objetivando promover um policiamento comunitário e mais eficiente, para que independente do polêmico e omisso parágrafo 8 do artigo 144 da Constituição Federal, na hora em que houver necessidade e conveniência o cidadão possa contar com mais essa força, que mesmo empenhada na proteção dos bens, serviços e instalações municipais, sempre priorizará a vida dos munícipes como seu bem maior tutelado.
É imprescindível, que por respeito aos leitores esclareçamos o motivo daquela matéria ser publicada com tamanha oposição em relação a GCM Planaltina Goiás, até mesmo para que tal irresponsabilidade não seja atribuída a todos os autênticos profissionais do jornalismo, que adverso aos “pseudo”, estudam e usam de imparcialidade e compromisso, na substituição do sensacionalismo pela competência, prestando de fato um serviço relevante à sociedade.
A divergência de um dos diretores da revista supramencionada com a Guarda Civil, iniciou-se quando uma Guarnição que acompanhava a PM e a fiscalização de postura municipal no fechamento dos bares e casas noturnas irregulares, adentrou um dos estabelecimentos do Setor Norte quando foi recebida aos berros e desacatos por um dos editores da Artefato, que claramente embriagado, proferia insultos com o hálito etílico no rosto dos GCMs, assegurando que aquilo era uma afronta ao direito constitucional de ir e vir dos cidadãos, que havíamos regredido a uma ditadura, que Guarda era pseudo-autoridade e que ele como jornalista não aceitaria tamanha afronta, e na tentativa de ganhar apoio e encorajar mais insurgentes, passou daí então a dirigir palavras de baixo calão à Guarnição , que antes mesmo de prendê-lo em flagrante, e dar-lhe uma belíssima lição legal e prática do que Guarda pode ou não pode, teve a intervenção de um já indignado cabo da Polícia Militar que o pegou pelo abraço e com firmeza o colocou no seu devido lugar, dando antes de tudo uma senhora aula de cidadania, fazendo assim cessar as injúrias e seus esganiçados e ilegítimos protestos, que com certeza àquela hora da noite já revoltava a maioria dos cidadãos de bem, que entre outras coisas tentavam dormir.
Fatos lamentáveis à parte, apesar da extensão, controvérsia, e complexidade do assunto, é indispensável explicar e expor o contraditório relativo ao artigo irresponsável publicado pela Revista em questão, onde para que prepondere a verdade e informe de fato a comunidade, não é necessário ser jurista ou doutrinador de direito , mas tão somente a imparcialidade e o profissionalismo para averiguar a concernência do que será publicado , afinal de contas a ninguém é dado o direito do desconhecimento da lei.
Primeiro quero desfazer o enorme mal entendido quando se fala sobre o polêmico poder de policia e as Guardas Municipais.
Estabelecido no Art. 78 do Código Tributário Nacional o poder de polícia na sua essência é uma prerrogativa do Estado, para garantir a supremacia dos direitos coletivos em relação ao individual, o poder de polícia não é exclusivo de servidores públicos com função ou nomenclatura policial, este poder é uno e indivisível podendo ser apenas delegado, representando portanto, a expressão máxima da soberania do poder público, de forma que qualquer servidor seja ele federal, estadual, ou municipal, quando investido de sua competência legítima atua em nome do estado( ESTADO = GOVERNO/ ESTADO = NAÇÃO), podendo definitivamente fazer uso deste mitificado dispositivo jurídico, ou seja, para que fique bem claro: O “ poder de polícia” jamais pode ser confundido com o “poder da polícia” como tão grosseiramente fez a referida revista, que na avidez de desmoralizar uma Instituição esqueceu de dispensar o mínimo de dedicação necessária à uma pesquisa coerente.
Para esclarecer definitivamente e não ter que expor infindáveis interpretações jurídicas, jurisprudência, acórdãos ou ensejar um infinito debate, convido todos para uma reflexão prática e simples: Se todas as Guardas inclusive a de Planaltina Goiás trabalham imbuídas em tamanha ilegalidade, o porquê que Delegados, Promotores, Juízes, Desembargadores e Ministros, continuam aceitando suas ocorrências e constantemente há condenações e acórdãos mantidos baseados em suas prisões, será que Brasil afora e aqui mesmo em nossa cidade o Judiciário ficou louco? Ou será que todos seus representantes estavam até a publicação da citada matéria incorrendo em crime? Talvez depois de tão “profunda e brilhante tese” da Revista Artefato, as autoridades brasileiras acordem e acabem de vez com as GCMs, ou mandem todas vigiar prédios públicos, causando assim uma revolução que manterá talvez intactos a moral e os bons costumes na segurança pública segundo a vontade e a ótica do nosso “expert” diretor de texto já aqui mencionado.
Depois de ler o citado artigo e perceber a excêntrica preocupação que a Revista Artefato tem com a legalidade, o respeito à Constituição e todo nosso ordenamento jurídico, convém fazer uma pequena análise de alguns direitos transgredidos, e crimes cometidos, em apenas uma página, a qual já está sendo avaliada por um advogado para o ingresso de uma ação judicial, com um pedido indenizatório por danos morais.
A Revista afirma que presenciou um viatura da GCM parada num beco onde um agente espancava a cacetadas um jovem. Cadê o vídeo? E cadê os responsáveis? Ora se ele no papel de jornalista não fez nada no mínimo foi omisso, mais no máximo sabemos que nesta informação reside uma calúnia, quando na verdade Agentes Municipais usavam naquela ocorrência de meios coercitivos necessários e proporcionais, para cessar a injusta agressão de um indivíduo em conflito com a lei, que além de usar a moto como instrumento acrobático em via pública tentava a todo custo após sua abordagem agredir os GCMs de plantão. Baseada em que a Revista afirma que é possível ver Guardas Civis extrapolando em muito sua função impedindo o ir e vir dos cidadãos, Guardas agindo de forma truculenta, e que mesmo pleiteando status de polícia viola a lei e pratica violência, quanta falta de conteúdo! Talvez seus editores ainda não ouviram a Seguinte frase : “Não é o que se sabe ou o que se fala , e sim o que se pode provar” caso contrário, manchar a reputação de alguém ou imputar-lhe falsa acusação, é crime!
O direito de imagem, consagrado e protegido pela Constituição Federal de 1988 e pelo Código Civil Nacional de 2002 como um direito de personalidade autônomo, foi totalmente violado já que certamente nenhum Guarda autorizou sua imagem ser vinculada a uma exposição tão negativa, entretanto, de todas as pérolas presentes no texto a mais “interessante” é quando definem a Guarda Civil Municipal como uma ORGANIZAÇÃO PARAMILITAR, quanta asneira! Quer dizer que os Poderes Legislativo e Executivo Municipal soberana e arrogantemente criaram uma organização criminosa se lixando pro Art. 5º inciso XVII da Constituição Federal bem como o Art. 288-A do Código Penal Brasileiro que proíbe e determina sanção penal para quem cria, integra, mantêm ou custeia organização Paramilitar, talvez na edição número oito da aludida Revista nossa nomenclatura já tenha mudado, em vez de GCM Planaltina Goiás passaremos a nos chamar FARCS Planaltina- Goiás, ops! Digo FARPS (FORÇA ARMADA REVOLUCIONÁRIA DAS PLANALTINAS). Santa Paciência!
A Revista afirma que apenas aos policiais cabe o policiamento ostensivo, abordagem à pessoas para revistas, averiguações, operações de ronda e porte de arma. Sinceramente não sei como as Guardas do Brasil imersas em “abundante ilegalidade” ainda conseguem ter grupos especializados de ações táticas e operacionais, promover rondas ostensivas, e operar com pistolas, carabinas, espingardas cal. 12, revólveres, etc. Será que não fomos informados que a lei 10826/2003 (Estatuto do Desarmamento) e seus decretos mudaram este bimestre? E justamente no Art. 6º incisos III e IV que autoriza e disciplina o porte de arma às Guardas Municipais brasileiras?! Agora o que me deu um nó na cabeça mesmo, foi tentar entender como uma Revista passa o artigo todo dizendo que Guarda Municipal é pra vigiar patrimônio público, e no final exige de tal corporação, preocupação com a proteção da vida, hora no final do texto fomos transformados em Polícia? Não compreendi porque agora em “desacordo com lei” convenientemente o autor quer que nos dediquemos à segurança pública, quer dizer que agora “sem autoritarismo, e com respeito à legislação” deveríamos proteger???? É... Concordo com o diretor de texto da Artefato quando diz: “De médico e louco todo mundo tem um pouco!”
A GCM Planaltina-Goiás é á única do Brasil formada pela Policia do Distrito Federal e a do Goiás (Civil e Militar) em conjunto, 30 % do seu efetivo tem nível superior, e 60% nível médio, diversos Agentes têm cursos de especialização como o método GIRALDI (tiro defensivo na preservação da vida), HABILITAÇÃO PARA O USO DO REVÓLVER E PISTOLA DE CALIBRE PERMITIDO para quando firmarmos o devido convênio de acordo com as exigências legais, e recentemente formamos um grupo especializado em ações tática/operacionais, treinados nos mais altos padrões exigidos pelo Ministério da Justiça, num curso ministrado pelo Grupo de Elite de uma das melhores Polícias do Brasil que é o GTOP PMDF, sem citar as coleções de curso da SENASP que nossos Guardas possuem, e pasmem! Tudo na grande maioria TRAZIDO E CUSTEADO pelos próprios GCMs, que ao invés de reclamarem, não consideram a omissão uma opção, e apesar da enorme falta de estrutura fazem algo de efetivo e produtivo para nossa Cidade que certamente em pouco tempo colherá bons frutos na área da Segurança Pública. Nossa instituição não foca no problema e sim na solução, assim como todas as Guardas do País, não esperamos propostas de emenda constitucional ou projetos de lei substituírem na legislação atual a forma tácita pela expressa, para continuarmos com um trabalho de extrema importância que há muito tempo a bem da coletividade vem sendo desenvolvido, ao contrário! Evocamos para prática nossa parcela de encargo que estabelece o Caput do Artigo 144 da nossa Carta Magna quando demonopoliza e preconiza a Segurança Pública como dever do Estado, DIREITO E RESPONSABILIDADE DE TODOS.

Guardas Civis Municipais de Planaltina/GO concluem o 1º Curso Tático Operacional

Instrução com profissionais do BAVOP



Vinte e sete alunos concluiram no dia 11 de outubro de 2013 o I Curso Tático Operacional - CTOP da GCM de Planaltina/GO, curso este que teve a duração de seis semanas e foi realizado graças ao apoio do pessoal da Polícia Militar do Distrito Federal, Polícia Militar de Goiás, Corpo de Bombeiros Militar de Goiás e demais colaboradores que se empenharam em passar o máximo de conhecimento possível aos novos "raiados".

Batismo no quartel do CBMGO
O curso contou com instruções de profissionais do BPCães, BAVOP, BOPE, BPMA e DPOE.
As aulas aconteceram de segunda à sexta-feira, com início às 07h00min e previsão de término às 18h00min em sala de aula (normalmente ultrapassando esse horário devido à necessidade do curso), e em sua maior parte foram assistidas no auditório localizado no Quartel do Corpo de Bombeiros Militar de Planaltina/GO.
A parte física foi treinada à exaustão para que o turno obtivesse um bom condicionamento físico.
O curso começou com 36 (trinta e seis) voluntários, terminando com 27 (vinte e sete) formados e 09 (nove) alunos desligados no seu decorrer.
Instrução do GTOP no "Matadouro"
As disciplinas dadas foram: Armamento e Tiro; Tiro Defensivo (Método Giraldi); Uso Seletivo da Força; Procedimento Operacional Padrão para Guardas Municipais; Técnicas e Tecnologias Não-Letais; Policiamento Comunitário; Primeiros Socorros; Patrulhamento Tático; Gerenciamento de Crises; Legislação Aplicada Ao Patrimônio; Técnicas e Táticas Policiais; Imobilizações Táticas; Defesa Pessoal; Técnicas de Patrulha Rural e Urbana; Artefatos Explosivos e Educação Física.
Na água pelo 'Raio"
As disciplinas foram ministradas também no 14º Batalhão de Polícia Militar do Distrito Federal em Planaltina/DF, em estande de tiro de Planaltina/DF, além de visita realizada ao Museu da Polícia Federal na Academia Nacional de Polícia, visita à DPOE na Papuda, palestras e demonstrações com equipes do BAVOP, BOPE, BPMA e do BPCães, dia de campo em Sobradinho II (campo de treinamento no antigo matadouro Friboi, próximo à Fercal), técnicas de descida vertical, entre outras atividades.
Educação Física com o ST PMDF Jobson

Sendo a Guarda Municipal gestora e operadora de segurança pública na esfera municipal, atuando desta forma como “solucionadora de problemas” locais, faz-se mister neste tipo de instituição, além dos serviços operacionais comuns, ainda, a manutenção do Serviço Tático-Operacional, visando o pronto-emprego de guardas municipais especializados para a solução de problemas imediatos e específicos, como tumulto, turba, desastres, emergências de alto risco, calamidades públicas, defesa civil, etc.
O tão desejado brevê
Com o objetivo de manter um serviço de excelência, em determinadas situações de emergência é necessário o emprego de profissionais altamente qualificados para este fim.
Desse modo, torna-se imprescindível que as Guardas Municipais mantenham um grupo de servidores diferenciados, voltados para a atuação nos serviços tático-operacionais, devendo estruturar-se, baseado no comando único, direcionando o seu foco de atuação para as buscas, resgates e apoio operacional.
Portanto, as técnicas operacionais e todas as demais disciplinas apresentadas neste curso têm como objetivo preparar o Guarda Civil Municipal através de conhecimentos técnicos e táticos para a utilização de procedimentos que irão ser eficazes na aplicação da lei e manutenção da ordem pública.
 
Curso Tático Operacional da Guarda Civil Municipal de Planaltina/GO






segunda-feira, 22 de julho de 2013

Continuamos na luta e com novidade no SINDIGUARDAS


Olá pessoal! Há alguns meses não tenho postado novidades para vocês devido à correria na qual nos encontramos, mas posso afirmar que continuamos na luta pela projeção de nossa instituição Guarda Civil Municipal. 
Muita coisa tem acontecido nesses últimos meses e a cada dia surgem novas oportunidades para nós, como por exemplo, a instalação de um telecentro com acessibilidade no SINDIGUARDAS (que já está em fase de conclusão e logo irá poder receber os guardas e a comunidade) onde contará com 10 (dez) computadores, 01 (uma) impressora multifuncional e 01 (um) projetor.
Para quem ainda não sabe, o SINDIGUARDAS está funcionando na QA 21 MC lote 04, Setor Leste de Planaltina/GO (abaixo da secretaria de ação social) somente às terças e quintas, de 08h00min às 18h00min, mas a partir do dia 05/08/2013 atenderemos de segunda à sexta.
Venha nos visitar e se não for filiado ainda, aproveite e filie-se para que possamos juntos buscar ainda mais melhorias para todos nós.
Até breve!     

terça-feira, 9 de abril de 2013

Atenção para o prazo e o local de assinatura da folha de ponto

A assinatura da folha de ponto será na Prefeitura Municipal de Planaltina/GO, do dia: 10/04/2013 a 12/04/2013, de 09:00hs às 12:00hs e das 14:00hs às 17:00hs.
O atendimento será feito pelo pessoal de apoio à fiscalização e rondas.

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Retificação

Quero deixar aqui o meu pedido de desculpas aos nossos companheiros: GCM Atevaldo, GCM Ronaldo e GCM Leandro, por ter deixado de citar a participação deles na postagem que fiz sobre a visita de nosso comandante ao Comando Geral da PMDF. Esses nobres colegas estão há tempos empenhados no fechamento do acordo não só com a PMDF, mas também com a PMGO, CBMGO e UEG para a vinda de mais esse curso de formação para a nossa GCM. Vale lembrar que a participação dos mesmos tem sido de grande importância para que se concretize mais essa etapa para a nossa instituição. Não posso esquecer de outra pessoa que sempre teve uma participação primordial neste processo: o Subtenente Almeida, que não mede esforços para nos apoiar quando precisamos dele.
Então, fica aqui o meu pedido de desculpas e também de agradecimento a esses valorosos profissionais.
Abraço a todos!